Artigos

O PEQUENO NOTÁVEL

Martha E. Ferreira

Economista, consultora, professora e palestrante 

Publicado no Anuário IEL 200 Maiores Empresas do Espírito Santo Vitória, ES - Novembro 2012

   O Estado do Espírito Santo está localizado numa região de grande beleza natural e suas potencialidades turísticas são imensas.

   Os colibris, orquídeas, cachoeiras, cumes para escalada e bases de asa delta, da região serrana, proporcionam momentos inesquecíveis, assim como as plantações de café, cacau e frutas, entremeadas pelas trilhas ecológicas e pontões de granito, da zona rural. 

   Nas praias ensolaradas, de mar azul-esverdeado, o céu se enche de paragliders e skitsurfs, os ventos atraem os barcos à vela e as lanchas procuram por marlins.

   A moqueca capixaba, massas e carnes especiais, acompanhadas pelos vinhos, sucos de fruta e chocolates, são um convite à gastronomia.

   E através da arquitetura secular, imortalizada nos casarões, museus, conventos, catedrais e capelas, é possível viajar pela história e consagrar-se à religiosidade. Praças, ipês rosa e monumentos são atrativos à parte.              

   Mas o turismo é apenas um dos setores dessa economia altamente diversificada e que oferece múltiplas oportunidades de negócios. O estado também é sede de grandes indústrias, integradas ao comércio nacional e internacional, que polarizam profissionais e empresas, do Brasil e do mundo.

   Ele é o maior produtor e exportador de rochas ornamentais da América Latina e sua pujante construção civil atrai grandes empresas brasileiras do setor.

   Possui a 2ª maior indústria de suco de frutas do país, a 3ª maior fábrica de chocolates do Hemisfério Sul e algumas indústrias capixabas de siderurgia, pelotização e celulose estão entre as líderes mundiais.

   O Espírito Santo é o 2º maior produtor de petróleo e gás do Brasil e suas reservas gigantes, especialmente no pré-sal, ocupam o 2º lugar no ranking nacional. 

   Com posição geográfica e logística privilegiadas, o estado sedia mais de 600 empresas atacadistas, se posicionando como o 3º maior centro distribuidor brasileiro.

   O seu complexo portuário é um dos maiores da América Latina, o que favorece a corrente comercial com outras nações, destacando-se como o 7º maior estado exportador e o 8º importador, do país. É responsável por 25% do volume de cargas e 9% do faturamento do comércio exterior do Brasil.

   Sua produtividade nas florestas plantadas é referência internacional, seu pólo moveleiro ocupa a 6ª posição no ranking nacional e o setor têxtil e de confecções emprega mais de 25 mil pessoas, em suas 1.600 unidades fabris.

   A falta de recursos para obras de infra-estrutura, perda de incentivos, iminente redução do fundo de participação dos Estados e dos royalties do petróleo e gás - imprescindíveis para tornar sustentáveis o crescimento econômico e o desenvolvimento social -, são adversidades que parecem estimular esse pequeno notável, impulsionando-o para frente. Tanto que o volume de investimentos previstos, para os próximos 05 anos, está estimado em R$ 100 bilhões.

   E é assim que o Estado do Espírito Santo confirma a sua competência empresarial e capacidade de superar os desafios: maximizando seu potencial econômico e crescendo acima da média nacional.